QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO – Clique já e confira!

Entenda o que é Qualidade de Vida no Trabalho

A Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) é um conceito amplo que vai além de oferecer instrumentos adequados aos funcionários. A empresa que busca ganhar mais espaço precisa entender a real função dessa expressão corporativa.

Qualidade de vida no trabalho trata-se da reunião de medidas que uma empresa promove a fim de obter melhorias e inovações gerenciais, tecnológicas e estruturais.

Podemos entender que o melhor desempenho dos funcionários incidirá diretamente nos números da empresa. Essas ações propostas em planos de qualidade de vida no trabalho devem melhorar a capacidade de produção dos funcionários e, por consequência, da empresa.

Em projetos de melhorias como esse, a pessoa e empresa devem ser entendida como uma única coisa. Esse ponto de vista é nomeado de enfoque biopsicossocial. Os diretores e gestores precisam considerar a complexidade humana para tomar decisões, e promover mudanças dentro da empresa.

É difícil para muitos empresários enxergar que problemas de ordem biológica atrapalharão o desempenho de determinados funcionários. E mais complicado ainda será aprovar um plano de ação para ajudá-los.

Daí a importância do setor responsável pela gestão de pessoas influenciar diretamente nos programas de qualidade de vida no trabalho.

A visão da QVT?

A qualidade de vida no trabalho se apoia em três esferas:

– Esfera biológica – trabalhar diferentes distúrbios fisiológicos do funcionário;

– Esfera psicológica – entender e trabalhar conflitos psicológicos;

– Esfera social – proporcionar melhorias ligadas ao âmbito social do funcionário.

Qualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no Trabalho

Aqui já conseguimos entender mais como os planos de qualidade de vida no trabalho serão abordados.

Pontos como aumento de salário, vida emocional, horários adequados de trabalho, o mínimo de condição para executar as tarefas, devem estar presentes na agenda de empresas que estão em crescimento.

De maneira prática, podemos dizer que não adianta a empresa aumentar o salário, e não oferecer cargo novo ao funcionário; ou ainda, não se preocupar se rendimento do funcionário permite que ele vá ao cinema, teatro e outras atividades de lazer.

É importante lembrar, que o conceito de qualidade de vida no trabalho é adotado em muitas empresas pelo mundo, e mostram que seu indicies melhoram com posturas assim.

Como devem funcionar os programas de QVT

Para oferecer bem-estar aos funcionários, gestores que elaborarem a qualidade vida no trabalho precisarão apontar em seus programas benefícios para empresa e funcionário.

Derrubar o paradigma empresarial é difícil, esses planos confrontarão muitas vezes modelos de organização bem rígidos, e fechados a mudanças.

Ao longo do tempo os programas de qualidade de vida no trabalho foram aprovados para atender determinadas situações, vejamos alguns destes:

– Enquadramento legalista – nesse formato mudanças são aprovadas para atender alguma recomendação legal, ou exigência de um cliente. Isso quer dizer que com o fim do contrato, o benefício pode ser extinto, por exemplo.

– Enquadramento paternalista – esse se limita a tornar aprazível a sala ou setor, não se amplia para o resto da empresa. O funcionário só é acolhido em sua sala.

– Visão estratégica – os programas são baseados em informações científicas, o que não garante terem sucesso em determinadas empresas. Mas, é um ponto de partida para se desenvolver trabalhos de interação entre equipes.

Modelos de QVT

Num avanço mais técnico do estudo de qualidade de vida no trabalho, propõem-se debruçar-se em sistemas de organizações, ou modelos de teóricos. Aqui vamos listar os modelos e suas sugestões de sistematizar as melhorias nos ambientes de trabalho.

Modelo de Walton

– Compensação justa e adequada;

– Condições de trabalho (segurança e saúde);

– Uso e desenvolvimento de capacidades;

– Oportunidade de crescimento e segurança continuados;

– Integração social na organização;

– Constitucionalismo na organização;

– O trabalho e o espaço total da vida;

– A relevância social da vida no trabalho.

Modelo de Westley

Define problemas presentes no ambiente de trabalho que precisam ser resolvidos:

– Injustiça;

– Insegurança;

– Isolamento;

– Anomia.

Modelo de Davis & Werther

Baseia-se em:

– Elemento organizacionais;

– Elemento ambientais;

– Elemento comportamentais.

Modelo de Hackman & Oldham

Segundo eles, o ambiente de trabalho deve ser melhorado a partir de observações como:

– Variedade e habilidades;

– Identidade da tarefa;

– Significado da tarefa;

– Autonomia;

– Feedback do próprio trabalho;

– Feedback extrínseco;

– Inter-relacionamento;

– Satisfação geral com o trabalho;

– Motivação interna para o trabalho;

– Satisfação específica.

Modelo de Nadler e Lawler

Sugere promover aspectos, tais como:

– Envolvimentos de todos nas decisões de organização;

– Criação de grupos autônomos de trabalho;

– Inovar no sistema de recompensas;

– Melhorar o ambiente de trabalho, desde condições físicas até de relacionamento entre equipes.

Esses modelos oferecem ferramenta para os gestores pensarem como devem efetivamente trabalhar a qualidade de vida no trabalho. Uma análise mais profunda valerá a pena para proporcionar o melhor ambiente de trabalho a todos.

Para conferir os outros artigos desta categoria clique aqui.

Para saber mais sobre a importância da qualidade de vida no trabalho, clique aqui.

Deixe um comentário